quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Luz e trevas

Vamos começar nossa consideração, lendo a primeira menção destas duas palavras, “luz e trevas”, nas Escrituras. Gênesis 1:2, 3 e 4: “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e O Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: ‘Haja luz’; e houve luz. E viu Deus que era boa a luz, e fez Deus separação entre a luz e as trevas.”
É destacado bem no início das Escrituras Sagradas que havia trevas antes da luz! Permanecendo as trevas, toda a maravilha da criação de Deus, jamais seria vista; jamais seria admirada! Então, antes de mais nada, poderosamente a voz de Deus ecoou sobre a face do abismo, rasgando as trevas que ali imperavam: “Haja luz”! Ao som poderosíssimo da voz do Senhor, simplesmente houve luz! Mas, luz e trevas nunca podem estar juntas, pois Deus fez esta separação. Onde a luz resplandece, as trevas fogem. Onde a luz é fraca, as trevas prevalecem.
Com isso em sua mente, veja agora o que a Bíblia nos diz em I João 1:5 : “…Deus é luz, e não há nEle trevas nenhumas.” Isso é muito sugestivo e interessante! Não apenas que Deus habita na luz inacessível ao homem, como lemos em I Timóteo 6:16, mas que Deus é luz. Deixa essa verdade gloriosa aquecer seu pensamento por um pouco. Deus é luz! Nunca pode haver treva alguma onde Deus está. Ele habita na luz mais clara que o sol ao meio dia e Ele é a própria luz daquele lugar!
Mas, é muito triste ler na Bíblia que não somente as trevas no sentido físico permanecem, mas também algo que é chamado pelo Senhor Jesus “o poder das trevas”. O que vem a ser isso? Leia em Lucas 22:53 : “Tenho estado todos os dias convosco no templo, e não estendestes as mãos contra mim, mas esta é a vossa hora e o poder das trevas.” O Senhor chamou aquilo, o ato dos sacerdotes, anciãos do povo e capitães do templo, virem ali perto do jardim do Getsêmani, para O prenderem. O beijo de Judas completou aquela cena de horror, quando O Senhor Jesus Se entregou nas mãos dos homens.
Contudo, devemos nos lembrar de uma coisa. Quando João começa a escrever o Evangelho, ele diz do Senhor Jesus: “Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens…E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam…Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo”. (Jo. 1:4, 5, 8, 9). Não só a nação de Israel, mas o mundo todo, estava mergulhado em trevas espirituais, nem pensando na santidade de Deus, nem no pecado. Ao chegar no capítulo 3, João explica tudo isto, dizendo que Deus enviou Seu Filho ao mundo, como já vimos, a luz do mundo e, agora completa, para salvar o mundo! Porém, qual a explicação dada por João, pela rejeição ao Senhor Jesus? Ele diz: “…e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.” Fácil de entender; uma criança entende! Mas o orgulho impede, ofusca a vista dos homens, que preferem ficar nas trevas do que se achegarem à luz. Uma única razão é dada para esta atitude do homem: “não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.” Isso quer dizer, para que o pecado dos homens não seja manifesto, não seja visto.
Quero encerrar, voltando ao relato de Lucas, quando O Senhor Se entregou nas mãos dos homens. Ali estava Ele, a verdadeira luz, pronto a enfrentar as trevas e seu império. Quase à hora sexta, isto é, meio dia, o sol se escureceu e hove trevas sobre toda a terra. Naquela período de tempo, não sabemos o que houve, mas sabemos que ao Pai agradou moe-Lo fazendo-O enfermar. Sabemos que nossa culpa, nosso pecado, Ele levou sobre Si e, por suas pisaduras, suas feridas, nossas chagas foram curadas. Não chagas físicas, mas chagas podres do nosso pecado. Mateus e Marcos nos contam que, perto da hora nona, isto é, três horas da tarde, O Senhor Jesus, em grande agonia, clamou com grande voz: “Deus meu, Deus meu, porque Me desamparaste?” Ele muito bem sabia! Deus, O Pai, desamparou Seu próprio Filho, para nos amparar a nós, miseráveis e indignos! Mas é Lucas que encerra esse capítulo da história dizendo as últimas palavras do Senhor Jesus na cruz: “ Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” O assunto fora tratado! A obra fora consumada! O pecado fora julgado! Ele deu Sua vida! Ninguém tirou, mas foi Ele que deu por nós. O que você pensa Dele? Quem é Ele para você? Reflita sobre isto! Amém.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Subindo com Rute

Neste livro histórico conhecemos um pouco das atitudes simples, porém muito decisivas, desta jovem viúva chamada Rute. Eis abaixo sete degraus que ela escolheu subir, que ilustram o caminho da maturidade na vida de um cristão verdadeiro.

1) 1:16 -18 = Sua CONVICÇÃO - Ao dizer "o teu Deus é o meu Deus", ela mostrou sua certeza em inteira certeza de fé, que confiava no Deus Único e Verdadeiro. Isso nos leva a considerar diversas pessoas com as quais O Senhor Jesus conversou pessoalmente. Podemos destacar aquele centurião romano, de quem O Senhor disse algo maravilhoso, "...nem ainda em Israel tenho achado tanta fé." (Mt.8:10 e Lc.7:9).

2) 2:13 = Sua GRATIDÃO - A primeira atitude daquele que foi "vivificado", bem poderia ser a de agradecer! Estando "mortos em ofensas e pecados", separados de Deus e condenados por natureza adâmica à condenação eterna, o que mais poderíamos fazer, depois de receber de Deus o perdão e a Vida Eterna em Cristo Jesus, que tudo fez por nós sem cobrar nada? Veja um belo exemplo dessa gratidão em Lucas 17:11-19, quando apenas um de dez leprosos voltou para agradecer ao Senhor, depois de ter sido curado.

3) 3:3-6 = Sua OBEDIÊNCIA - Para um coração convicto a agradecido, obedecer é consequência imediata! Como nos ensina o apóstolo João em I Jo.5:3 ao dizer " Porque este é o amor de Deus: Que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados." Vale a pena ler as duas cartinhas pessoais de João à "Senhora eleita" e ao "Amado Gaio".

4) 2:2,3 = Sua DISPOSIÇÃO - Quando ela disse "deixa-me ir ao campo", mostrou boa vontade e prontidão, pois, sem ninguém falar nada. Diante da ordem clara do nosso amado Senhor e Salvador, como agiríamos? Em Lc.9:57-62 encontramos O Senhor ouvindo evasivas "deixa-me primeiro...". Bem diferente de Rute que ao invés de reclamar, pediu para servir. Digamos "sim" ao "Ide"!

5) 2:7 = Sua DEDICAÇÃO - "Assim ela veio, desde pela manhã até agora". Trabalhou o dia inteiro sem descanso algum. O Senhor Jesus fez o mesmo, trabalhando quase sem repouso algum, até  morrer naquela cruz de dor e humilhação. Uma vez Ele disse aos discípulos "dai-lhes vós de comer", quando a multidão estava faminta. Leia em Mt.9:35-38. Se os salvos pararem, os perdidos morrerão, não de fome ou sede, mas na perdição eterna!

6) 2:19 = Sua CONSTÂNCIA - Dia a dia, sem oscilações, Rute trabalhava. "Onde colheste HOJE?" Uma linda ilustração da colheita que cada salvo pode, e deve, fazer CADA DIA na Palavra de Deus, buscando Nela o alimento de que precisa para crescimento e fortalecimento espiritual. Considere os Salmos 1:2; 40:8; 119: 18, 70, 72, 77, 105, 113, 174.

7) 3:18 = Sua PACIÊNCIA - "Espera, minha filha...". Quando aprendemos esperar pacientemente, podemos dizer que de fato amadurecemos na fé. Em Romanos 5:3,4 lemos assim: "...sabendo que a tribulação produz paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança." Perceba que a vida estabilizada de experiência e o coração seguro na esperança, só podem ser manifestos assim, depois da paciência produzida pela tribulação. Esse foi o caso de Rute. Muito sofreu, mas aprendeu!

Quando um salvo sobe este sete degraus na sua vida, ele pode dizer que chegou num nível de onde pode apreciar muito mais da grandeza da salvação, sem reclamar tanto das agruras do presente século mau!

"Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança." (Romanos 15:4)

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Prontas para distribuição!




Enfim, a Série A das lições para crianças, adolescentes e jovens, ficaram prontas! São divididas em 4 Níveis - Idades, em dois livretes para cada Nível, (6 meses + 6 meses), ou seja, um ano de estudos.
Estamos trabalhando nas Séries B e C, que darão sequência a Série A.
Já começamos a distribuição! 
Os interessados, por gentileza, entrem em contato conosco para os detalhes. Lembrando que as lições são gratuitas, ficando a despesa do Correio apenas por conta do solicitante.
contato@horabiblica.com.br
pedido@verbam.net


"Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado" (Hebreus 3:12,13)
Pensando em pessoas redimidas, parece difícil imaginar uma tão solene advertência! Poderia haver um coração "mau e infiel" em alguém que foi lavado e purificado pelo precioso sangue do Senhor Jesus Cristo? Ousaria um salvo, santo, redimido, endurecer-se tanto e perder a sensibilidade pelo "engano do pecado"? Deus diz que sim! Que isto nos leve a nunca confiar em nós mesmos!


segunda-feira, 4 de julho de 2016





 "Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detem no caminho dos pecadores, nem se assenta na rod dos escarnecedores. Antes, tem o seu prazer na Lei do Senhor, e na Sua Lei medita de dia e de noite." Salmo 1:1 e 2